CFP: com o décimo terceiro, em dezembro, a compensação é dobrada!

  • Home
  • Empresas
  • CFP: com o décimo terceiro, em dezembro, a compensação é dobrada!

Oportunidade para quem não quer ter dor de cabeça com o décimo terceiro.

Entre nossas soluções fiscais, com toda certeza, o Compliance da Folha de Pagamento é um dos processos mais rentáveis realizados pela Tributarie.  Tem como o principal objetivo a recuperação, pela via administrativa, das contribuições previdenciárias recolhidas indevidamente ou com base de cálculo a maior aos cofres públicos, sobre a folha de pagamento. Entendemos então que essa solução se aplica perfeitamente quando falamos sobre o décimo terceiro.

Nesta perspectiva, o mês de dezembro se tornou uma grande oportunidade para a realização deste Compliance. O motivo é o pagamento do décimo terceiro: cerca de 60 a 70% das empresas brasileiras, ao chegar no final do ano, não têm dinheiro em caixa para arcar com o 13º dos funcionários, neste sentido, faturam durante o mês para pagar até o dia 20, a segunda parcela e, consequentemente, acabam recolhendo impostos em dobro.

É um cenário propício à realização do CFP, já que há o aumento dos encargos e da própria folha de pagamento em dezembro com a GFIP referente ao 12º mês e ao décimo terceiro salário. A compensação é dobrada!

Ao realizar o trabalho, a Tributarie oferece três soluções:

  • Verbas Indenizatórias: por meio de uma minuciosa análise na folha de pagamento excluindo, em termos de tributação, as verbas de cunho indenizatório, tais como: 1/3 de férias, férias indenizadas, aviso prévio indenizado, gratificações eventuais, adicionais, salário educação, salário família, entre outros.

 

  • SAT/RAT: recuperamos os valores recolhidos a maior, a título do SAT/RAT, tendo em vista modificações promovidas na legislação previdenciária pelos Decretos nº 6.042/07 e nº 6.957/09.

 

  • Retenção do INSS: A retenção em NFS trata de valores descontados na fonte em Notas Fiscais e recolhidos em nome da empresa contratada pela contratante, sendo obrigatória a informação na competência da NFS. Ao informar a retenção para o SEFIP, haverá o abatimento sobre o valor devido ao INSS (campo 6 da GPS). Ocorrendo sobra, ou seja, o valor retido sendo superior ao valor apurado para o INSS, o saldo pode ser contabilizado para futuras compensações ou restituição.

 

O CFP é umas das mais de 60 soluções fiscais oferecidas pela Tributarie e você pode ter acesso a mais informações clicando aqui ou entrando em contato diretamente conosco (11) 2615-7815 ou (31) 3297-8202.

Tags:
Deixe um comentário

Share This